Chaminé do Funil: reformada

February 18, 2018

Por:

Conquistada em 1931 por escaladores do Centro Excursionista Brasileiro, a chaminé do Funil, no Cantagalo, estava bem suja, tomada de trepadeiras e plantas espinhosas. Dos 6 grampos originais, 3 estavam destruídos pela corrosão, quebrando com um tranco.

 

Após uma escalada completa da via, com Marcos Linhares, submeti ao CEB minha proposta de reforma com modernização da via. Isso incluía algumas proteções móveis em fendas óbvias, a intermediação de um lance longo e a criação de paradas duplas a cada 30 metros, evitando os rapéis em árvores. Tudo com chapeletas PinGo e parabolts de aço inox 304. 

 

O CEB aprovou a proposta, e voltei lá com o Mauro Chiara para executarmos a reforma. No primeiro dia fixamos quase todas as chapeletas pinGo, e já rapelamos por elas. O cabo de aço parecia bem firme, e a serra manual mal arranhava ele. Iria dar trabalho. 

 

 

Novas investidas foram acontecendo, e o trabalho avançando pouco a pouco. Com o Marcello Gomide fixei as 2 chapeletas que faltavam. Mauro, em outro dia, conseguiu desenrolar o cabo de aço do platô e esticá-lo todo pra baixo, chegando até a base.

 

Voltando lá com a Raquel Madaloso, consegui chegar onde o cabo estava preso e cortá-lo, marretando o trecho mais corroído. Caiu inteiro até a base, levando bastante mato da chaminé com seu peso. Sem o cabo a via ficou muito mais bonita.

 

Com a redução do mato, surgiu um grampo que não haviamos visto, entre a primeira parada dupla e a segunda chaminé. Passamos a usá- lo, e decidimos retirar uma chapeleta no futuro.

 

Um dia decidimos chegar na primeira parada dupla escalando por fora da pedra entalada. A colocação do camalot 3 ou 1 pode ser feita pisando na embaúba. Assim a via toda pode ser feita em um esticão de cinquenta e poucos metros.

 

Após a reforma pronta, decidimos que seria melhor trocar também os 2 grampos remanescentes, para evitar o retrabalho em breve. Fiz isso em abril.

 

 

A chaminé do Funil é de fácil acesso: Siga a trilha que passa na base da Lembranças, Urbanóide e Adrenalina Mil, seguindo mais uns 10 minutos para a esquerda. São 2 esticões de 30 metros, em torno de 3° IV grau, na sombra quase até o meio-dia.

 

Em Fevereiro de 2018, Flávio Leone, eu e Mauro Chiara terminamos uma conquista acima da chaminé do Funil, começada pelo Leone e amigos alguns anos antes.  São 2 esticões de cerca de 30 metros, um em diedro e um em agarras, que leva ao cume, de onde se rapela em duas chapeletas PinGo.  Chamamos de "A Cereja do Bolo" 4°V E2.

Veja fotos e croquí na sessão conquistas.

 

Do fim da Funil, é possível seguir para a Cereja, ou caminhar pra esquerda até a base da chaminé do Morcego, uma conquista da mesma época que vai ao cume do Cantagalo. Na face externa da chaminé do Morcego fica a Arduíno Sabóia Amorim, via esportiva de 35 metros que também merecia uma reforma. Nosso próximo projeto.

 

Fotos:

https://photos.app.goo.gl/47ypUetAKSiFViMY2

 

Vídeo no 1° esticão da chaminé do Funil: 

https://www.youtube.com/watch?v=doh9wUHJrHc

 

 

 

 

 

Tags: gallotti, chaminé, pão de açúcar

Please reload

Posts Em Destaque

Chaminé do Prego: Reformada

August 17, 2018

1/8
Please reload

Posts Recentes

June 13, 2018

April 2, 2018

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • Vimeo Social Icon
  • Facebook Social Icon

© 2016 por MIGUEL MONTEZA