Curso Básico de Escalada em Rocha

September 4, 2017

Por:

Fazer um curso básico é a melhor forma (e a mais segura) de começar a escalar. Procure cursos homologados pela FEMERJ / CBME, que cumprem seu currículo mínimo. Conheça o site www.aguiperj.org.br

 

Nosso CBE tem 7 aulas práticas em rocha (fotos) de 3 a 4 horas cada, e uma teórica, de prevenção de acidentes. 

 

Pode ser para 1 ou 2 alunos. Nos fins de semana é mais fácil encontrar um parceiro para fazer junto, aproveitando o desconto. Em dias de semana, normalmente é individual.

 

Temos o equipamento individual de escalada para uso dos alunos durante o curso. 

O preço do curso inclui um livro texto muito bom, com 335 páginas de conteúdo, que depois será uma boa fonte de consulta por muitos anos. 

 

Na primeira aula os alunos conhecem os equipamentos, a dinâmica da escalada, a comunicação, aprendem a dar segurança ao guia e escalam um trecho com corda de cima. 

 

 

 

 

 

Setor dos "Coloridos" - Técnica de agarras de pé.

 

Aqui os alunos começam a escalar mais "longe do chão", aprendendo o que é uma parada, equalização, como dar segurança a partir da parada, o que é fator de queda, e aprendem a rapelar com segurança.  

 

Também praticam mais alguns nós.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Contraforte do Corcovado - Técnica de aderência.

Confiar nas pisadas é fundamental para evoluir na escalada, por isso é importante treinar aderência desde cedo.  

Nesta aula eles escalam uma via inteira, seguram queda do guia, rapelam em diagonal, entre outras técnicas e novos nós.

 

 

 

Técnica de chaminé

 

Chaminé é a técnica para escalar entre duas paredes, em grandes fendas onde entra o corpo inteiro. Foi o que possibilitou a conquista de paredes imponentes nos anos 40 e 50 no Brasil.

 

Esta técnica não pode ser esquecida, pois é importante em diversas vias clássicas e essencial para um escalador ser completo.

 

Ao final desta aula praticamos a ascensão por corda, com prusik.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cantagalo - Técnica de agarras

 

Nesta aula, além de escalar em agarras, os alunos aprendem a fazer o "escape da segurança", um procedimento que é o primeiro passo para resgatar o seu parceiro. 

 

Depois do curso, pode ser feito um treinamento específico de autorresgate, o TAR.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Técnica de oposição.

É a técnica mais exigente, por isso fica por último.

Além de escalar, os alunos conhecem o equipamento de proteção móvel e aprendem a retirar essas peças da fenda. 

 

 

Via mais longa, com cume.

 

Normalmente esta aula é na Agulhinha da Gávea, em São Conrado. 

 

Ali, várias vias reúnem técnicas variadas, proteções móveis e fixas, vários esticões de corda, e comunicação dificultada pelas "curvas".

 

É o dia de conferir se os alunos aprenderam tudo e se já estão prontos para escalar com guias amadores, mesmo com pouca experiência.  

 

 

 

A aula teórica de prevenção de acidentes é agendada ao longo do curso. Geralmente acontece à noite, durante a semana.

 

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

Chaminé do Prego: Reformada

August 17, 2018

1/8
Please reload

Posts Recentes

June 13, 2018

April 2, 2018

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • Vimeo Social Icon
  • Facebook Social Icon

© 2016 por MIGUEL MONTEZA